Muito temos ouvido falar de Inbound Marketing, mas, afinal, o que é e qual a sua importância?  Inbound Marketing é um processo contínuo que pretende criar uma relação de confiança cuja comunicação ocorre abertamente e através da qual uma marca e o seu consumidor têm abertura para criar um diálogo baseado numa interação constante, que gera maior engagement. Para executar uma estratégia de Inbound Marketing eficaz, é essencial cumprir 4 etapas:

Atração

Mais que atrair tráfego para qualquer que seja a plataforma escolhida (website, blog ou rede social), o importante é captar a atenção de leads qualificados, isto é, aqueles realmente interessados no produto/serviço que oferecemos e que mais facilmente se traduzem em vendas. Para isso, é crucial criar conteúdo relevante que responda às suas necessidades, normalmente através dos seguintes canais:

Marketing de Conteúdo: o conteúdo, especialmente de qualidade, é uma das principais ferramentas do Inbound Marketing, atuando em todas as etapas do funil. É uma estratégia que envolve a criação de buyer personas, pesquisa de palavras-chave, entre outros fatores, que atrai, converte e encanta consumidores e potenciais consumidores.

Blog: para as empresas, o blog é o principal canal de comunicação, uma vez que é onde ancoramos o nosso conteúdo (ao invés das redes sociais, mais efémeras). É uma montra que apresenta os pontos de vista de uma marca sobre diversas temáticas, ajudando a construir a relação de confiança e um estatuto de autoridade.

Website: se o blog é a montra, o website é a loja. Conforme as mensagens apresentadas no blog seduzem os leads, segue-se a vontade de descobrir o que a sua empresa oferece.

Redes Sociais: parece senso comum, mas nunca é demais reforçar que o conteúdo publicado nas redes sociais fortalece a imagem da sua marca perante a audiência, nomeadamente porque dialoga diretamente com ela.

SEO: por fim, a otimização do motor de pesquisa é a cereja no topo do bolo para atrair público interessado nos nossos produtos/serviços.

Conversão

Passada a fase de atração, chega a altura de converter os leads interessados em consumidores reais. Para tal, as ferramentas aconselhadas são:

Landing Pages: igualmente conhecidas como páginas de conversão, são criadas para convencer os visitantes a aceitar uma oferta em troca de informações pessoais.

Formulários: normalmente, as informações que a landing page pede são preenchidas através de um formulário. A forma como são criados é determinante na taxa de conversão, pelo que têm de ser facilmente legíveis e de preenchimento intuitivo.

CTA (Call-To-Action): os convites diretos para que um visitante aja de determinada forma costumam estar associados a ofertas exclusivas, havendo um contraste distinto com os restantes elementos da página.

CRM (Customer Relationship Management): essencialmente através de um software de CRM, temos acesso a informações sobre os utilizadores do website. Sabendo o que precisam e quando é que precisam de determinado serviço, é ideal para gerar e nutrir leads.

CRO (Conversion Rate Optimization): o papel do CRO é garantir que as conversões aumentem de forma contínua.

Venda

Atraímos, convertemos… e agora? Depois do processo de venda, há ferramentas determinantes neste processo:

Automação de Marketing: utilizar ferramentas de automação de marketing permite manter uma relação mais próxima com os leads, caracterizada pela personalização das mensagens.

E-mail Marketing: com vista a estimular o interesse da audiência de forma prática e personalizada, fazendo a chamada nutrição de leads, o e-mail marketing é a solução ideal. 

Lead Scoring: para priorizar os leads no funil de vendas, há que pontuar a audiência consoante o seu estado para a compra (de mais a menos pronto) na base de dados. Desta forma, é mais fácil direcionar a comunicação.

Encantamento

Tão ou mais importante que a venda, há que encantar os utilizadores, com vista a repetir a experiência na empresa. Aliás, esta é também a fase de “recrutar” novos consumidores através do passa-a-palavra (WOM). Para quem um lead se sinta encantado por uma marca, existem dois pontos a frisar:

Relacionamento Ativo: mesmo que o processo de venda tenha terminado, não podemos deixar que o consumidor se esqueça da existência da nossa empresa. Para isso, o envio de mensagens e conteúdos relevantes, tanto através de newsletters como pelas redes sociais, é essencial para manter a nossa marca no seu top-of-mind. 

Conteúdo Avançado: nesta fase, não chega partilhar conteúdo top-of-the-funnel. Criar mensagens específicas para as necessidades de cada perfil, além de mostrar a preocupação e atenção da marca, é um trunfo para que os utilizadores se fidelizem com os nossos produtos/serviços. 

Seguindo todos estes passos, é garantida uma melhoria na relação consumidor-empresa, especialmente a longo-prazo. Na Lisbon Project, atuamos com Inbound Marketing em vários dos nossos projetos, nomeadamente para o Amendoeira Golf Resort e para a Conferência de Mobilidade em Bicicleta Velo-city 2021. Caso pretenda otimizar a criação dos conteúdos da sua marca, estamos ao seu dispor.