Em março de 2020, o mundo como o conhecíamos mudou. A rotina casa-trabalho-casa foi trocada por quarto-sala-cozinha e a alegria dos escritórios foi substituída por videoconferências. O distanciamento social que nos foi imposto fez emergir a necessidade do digital e consequente adaptação por parte das entidades empregadoras.

São sabidas as consequências negativas da nova conjuntura, não só em termos de saúde pública como para a economia, refletindo-se também em inúmeras pessoas a perder o seu emprego. Setores como o turismo, a cultura e a restauração foram gravemente afetados, especialmente enquanto negócios de pequenas e médias empresas (PME’s), as mais afetadas pela pandemia.

Apesar da digitalização já ser uma realidade em muitas organizações, ainda há muito trabalho a fazer. As empresas devem assegurar uma estratégia de implementação e transformação digital, focada em soluções objetivas e sustentáveis que as diferenciem no mercado. O online deixou de ser uma tendência – hoje, é uma garantia de sobrevivência num mercado global.

A rápida evolução das tecnologias digitais, bem como a mudança disruptiva do comportamento dos consumidores, tornam a digitalização num processo inevitável. A transformação digital das PME’s é um fator essencial para a competitividade empresarial, traduzindo-se em vantagens como: processos mais eficientes, possibilidade de criar novos modelos de negócio, redução de custos, aumento da produtividade e da receita, capacidade de dar uma resposta mais rápida às novas procuras do mercado, maior controlo sobre o negócio, maior visibilidade dos resultados (permitindo uma reação mais rápida) e maior proximidade com o cliente, possibilitando um atendimento personalizado.

Mas a digitalização das PME’s não tem de passar apenas pelos seus websites. Atualmente, todos nos encontramos nas redes sociais, ferramentas que, por si só, conseguem alavancar negócios. Neste sentido, o LinkedIn, por ser uma “rede social profissional”, é o ás de espadas que todas as empresas precisam.

Desde as oportunidades de networking, disponibilização de vagas de trabalho, troca de ideias a partilhas de conteúdo, o LinkedIn tem-se tornado, cada vez mais, um instrumento de destaque para se ir além da sobrevivência profissional. Especialmente no contexto de pandemia, esta rede social tem vindo a ser destacada através da oferta de cursos e até de mecanismo que facilitam a procura de emprego.

Caso antes subvalorizasse esta plataforma, aconselho vivamente a que explore todas as suas potencialidades. O digital veio para ficar, e a otimização da nossa presença é essencial para que a nossa marca não seja esquecida.